3.3.11

Violência Intra-Uterina : Uma Covardia!




À medida que a humanidade evolui a tecnologia e as descobertas nos diversos âmbitos sociais assumem dimensões assombrosas em contrapartida a capacidade de amar do ser humano parece estar a involuir com sérias perspectivas de desaparecer, em alguns,se não forem tomadas atitudes severas de uma séria reforma íntima.

Enquanto o intelecto desvenda as incógnitas das curas,dos medicamentos,das fertilizações in vitro etc, alguns corações,ao invés de agradecerem a Deus por nos haver concedido a presença destes anjos tutelares que impulsionam o nosso progresso,se esfriam,congelam-se e endurecem diante de tais descobertas e diante do que é mais sagrado: a vida!

Na matriz uterina a vida se forma e é retirada a golpes de cureta,impiedosamente,no ato de maior crueldade que se pode imputar a um ser em formação: o aborto!

Vidas que poderiam vingar a fim de compartilharem conosco a bênção da evolução são ceifadas friamente voltando à espiritualidade embalando sonhos de uma nova possibilidade de reencarnarem.

Violência sem nome! 

Rude, cruel e abominável.

Violência contra um ser que, sequer possui a condição de se defender.Violência cometida com a aquiescência de quem deveria protegê-lo e ajudá-lo no seu processo evolutivo.

Quando alguém empunha uma arma para alguém que está lúcido em condições de defesa trata-se de um ato brutal porém de um ser para outro que a si equipara,porém quando se trata de um pequenino ser que dormita para despertar no aconchego materno,é de uma estupidez e crueldade tão infinitas,por isto mesmo inomináveis.

Muitos materialistas consideram-se senhores, "donos" da sua própria vida e em consequência,do seu próprio corpo surgindo desta teoria o argumento de que têm o direito de fazerem o que bem entenderem com o mesmo.

Eu pergunto: "Quem é capaz de evitar a morte para si mesmo e/ou para um ente muito querido?

- Ninguém! Absolutamente ninguém! 

Quando a hora é chegada, nem a medicina mais evoluída é capaz de deter esta nossa amiga inseparável que caminha conosco durante toda a nossa vida aguardando apenas o momento de nos conduzir a nossa pátria verdadeira,a pátria espiritual.Esta amiga que sabemos rente ao nosso lado e que fingimos ignorá-la:a morte.

 Pessoa alguma, jamais,em tempo algum conseguiu nem conseguirá a façanha de evitar a morte.E sabem porquê?!

Porque a vida pertence a Deus.Somente Ele é capaz de criá-la e somente Ele tem o direito de buscá-la quando o espírito terminou a sua tarefa neste mundo.Os espíritos são criados por Ele e se ligam temporariamente a corpos gerados entre duas criaturas,um homem e uma mulher,através da conjunção carnal, mas o que provém da carne é apenas carne,e o que provém do espírito é Espírito,criação divina.

O casal gera mas o que é gerado da união do óvulo e do espermatozóide somente adquire vida através da sua ligação com o Espírito que é criação divina.Com a morte,separado o espírito da matéria,inerte ela retorna ao laboratório da natureza através da sua decomposição devolvendo a este maravilhoso laboratório, todos os elementos que passarão à formação de novos corpos minerais,vegetais etc...

Refletir,repensar sobre as nossas atitudes se faz mister.Os espíritos estão enfileirados aguardando oportunidade de retornarem à lide carnal a fim de se reajustarem e evoluirem. Basta de violência intra uterina! Chega de matanças da vida em formação! Após a morte não há tribunal algum para julgar os que assim procederam e procedem.Haverá sim o tribunal das suas conciências que os lançarão no mar de remorsos diante do sentimento de culpa a lhes queimar as entranhas espirituais.

Nada escapa aos olhos do nosso Criador e Ele é tão justo que permite às criaturas procederem como lhes incitam o livre arbítrio que Ele dotou cada ser, mas vale lembrar que "a semeadura é livre porém a colheita é obrigatória."


Blogagem Coletiva do Fábrica de Letras

Tema: Violência.




Clique no link ou no banner e participe.


bjs,soninha


7 comentários:

Anne Lieri disse...

Nossa!Imagens chocantes e bom demais seu texto!Parabéns Soninha pela participação!Bjs,

chica disse...

Parabéns pela participação.Realmente uma violência!beijos,chica

Briseis disse...

Brutal e perturbador... mas necessário. Talvez sirva para abrir os olhos a alguns inconscientes.
Muito bem!

Sus disse...

Excelente texto e reflexão, apenas que este tema é demasiado complexo para ser analisado duma forma tão transversal. É certo que matar é sempre matar, mas não será igualmente uma violência colocar no mundo um ser que pode vir a ser alvo de um sofrimento maior, que resultar duma violação... ou duma situação de azar e em os progenitores não desejam a criança, e esta será sempre vista de uma forma não bem vinda. Não será também esta forma de violência capaz de matar lentamente um ser, embora disfarçadamente.
Este tema é demasiado controverso para uma leitura generalizada. Cada caso é um caso.
:*

Natália Augusto disse...

Seu texto é cruel e duro! A VIDA é um bem sublime e dar vida a outro ser também.
Ainda assim, devemos deixar que um ser com malformações e doenças incuráveis viva? O estado nunca ajudará essa família nem esse ser! A infelicidade será prolongada até à morte desse ser/criança. Se os exames médicos desse ser, ainda na vida uterina, detetarem que mãe e filho correm risco de vida morrendo os dois na altura do parto, a família não pode escolher salvar a mãe? Pode ser que na próxima gravidez tudo corra bem.
Toda a vida é uma violência! A morte é outra!!

JGCosta disse...

Excelente ponto de vista!

Parabéns pela sensível participação!

Abraços renovados!

Sandra disse...

Uma otima participação...
A vida é tão bela. Não sei porque a violência faz parte da vida de algumas pessoas..
O amor é tão especial e Puro..
A Violência vem acompanhando o Mundo desde o seu principio. É uma pena que ainda existe, das mais diversas formas. Tudo é muito triste. O que nos resta é levantar a bandeira da Paz.. Proclamar por ela.
A interação de amigos tbém entrou nesta..
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2011/03/coletiva-tema-violencia.html
Não podemos permitir o seu alastramento. Temos sim é que ajudar a combater e cortar as raízes.
Carinhosamente venho compartilhar contigo este texto.
Precisamos sim nos unir em pensamento e passar todoas as energias positivas e combatê-lo..
Falar da vida é muito melhor..Do amor ainda Mias. A Paz então nem se fala..
Sandra