21.8.11

Desenlace


DESENLACE
A passagem dos anos e o descuido com si mesmo tornou a sus silhueta volumosa, pesada e desagradável aos seus próprios olhos.

A ansiedade e todo o mal que havia cultivado ao longo dos anos não lhe davam sossego para que pudesse investir numa educação alimentar e exercícios a fim de eliminar um pouco o peso e sentir-se mais confortável.

Ainda assim, não dispensava a clássica cerveja gelada durante o almoço, todos os dias, e uma boa soneca após empanturra-se de lautos pratos engordurados e pesados.

Naquele dia ele não fugiu à mesmice que fazia parte da sua vida.

Roncava,após o almoço, deitado na poltrona frente à TV, exalando hálito alcoólico que era aspirado pelas formas espirituais que se enlanguesciam ao seu redor como se fossem luvas se ajustando nos dedos.

Ressonando, ele nada percebia mas sentia o mal estar daquelas presenças espirituais e lutava para despertar a fim de se desvencilhar do que lhe incomodava, sem conseguir.

Subitamente, as gorduras acumuladas durante anos dentro das suas veias e artérias, tamponaram a circulação à área cardíaca e uma dor lancinante o fez saltar com as mãos comprimindo o peito e os olhos esbugalhados que revelavam nas suas retinas os seres horrendos que lhe visitavam apresentando esgares faciais à guisa de sorriso.

Se os que lhe acudiram horas mais tarde pudessem ver o que estava ali gravado, por certo que alguns deles se cuidariam com maior zelo.

O médico assinou o seu atestado de óbito como infarto agudo do miocárdio - IAM - e assim foi velado, enquanto na espiritualidade ele padecia a perseguição dos algozes milenares que se locupletavam com as suas imperfeições morais que ele teimava em não corrigí-las.

No velório ouvia-se frases elogiando a sua boa conduta para com todos que ele conhecia sem saberem o quanto ele fôra maltrado por si mesmo.

abçs e paz!

Um comentário:

Miriam de Sales Oliveira disse...

Esse blog é do bem;trás msg maravilhosas e disso,todos nós precisamos. bjs