7.5.11

Viagem Astral // Teia Ambiental



Rômulo estava muito cansado para aceitar o convite da sua noiva para irem ao baile de formatura da sua irmã caçula, e resolveu recostar-se na cadeira de balanço a fim de meditar um pouco antes de se recolher aos seus aposentos de dormir.

Decorridos alguns minutos o rapaz sentiu-se volitando sobre si mesmo enquanto o seu corpo físico descansava meio adormecido na cadeira, com os pés acomodados sobre almofadas que jaziam sobre um velho tamborete.

Olhando-se, constatou que era um jovem fisicamente robusto e simpático e imaginou-se vivendo por muitos anos ao lado da sua noiva com a qual pretendia constituir família numerosa. Com o pensamento a vagar foi chamado à realidade pelo seu guia espiritual, Alan, que ao seu lado o esperava convidando-o a uma viagem em corpo astral quando iriam visitar a Cidade Maravilhosa.

Imediatamente postou-se em posição de respeito diante do seu guia, aquiescendo ao seu chamado e com ele volitou rumo ao passeio astral, enquanto o seu corpo físico descansava em boas condições de conforto e segurança.

Aquelas viagens astrais não eram novidade para Rômulo pois há muito tempo Alan o havia iniciado nas mesmas ao que ele participava com muita vontade e gosto.




Volitando sobre a Cidade Maravilhosa Alan conduziu-o especificamente a um determinado ponto de uma das praias mais famosas onde um grupo de jovens se drogava em péssimas condições de higiene, passando a seringa de um braço a outro sem a menor preocupação em manter os cuidados que evitam contágios e contaminações, bem como o cachimbo do craque circulava de boca em boca inalando e exalando fumaça que penetrava nos jovens pulmões, adentrando a corrente circulatória e cérebro, indo finalmente ao centro da vontade do ser espiritual, minando-o e tornando-o subjugado às regras da droga mortífera.

Enquanto tudo isto ocorria, vampiros espirituais colavam-se ao perispírito destas criaturas para se locupletarem com as emanações pestilenciais e doentias do álcool, das drogas injetáveis e inaladas. Enlouquecidos em ambas as esferas o conúbio se alongava noite adentro levando encarnados e desencarnados a cometerem atos dos quais iriam expiar através de muitas reencarnações. 

Vendo que a hora avançava, Alan convidou Rômulo a retornar a sua residência antes que alguém pudesse despertá-lo o que motivaria um retorno turbulento ao corpo físico. O rapaz compreendendo a importância da orientação do mentor, agradeceu pelo passeio instrutivo e arriscou uma pergunta:

- Alan, por que você me trouxe a esta região tão sombria e sofrida?

 Alan, circunspecto e sério, respondeu-lhe com precisão e suavidade: 



- Rômulo amigo,a maioria das pessoas está bem intencionada tentando salvar o planeta de uma catástrofe iminente ante o efeito estufa, inundações, falta de alimento, sacolas plásticas, falta da água e outras coisas mais, mas elas se esquecem que o ser humano não é apenas matéria e sim espírito que  se manifesta  através da matéria. Esta, deve ser respeitada sim, mas jamais colocada à frente do Espírito pois é dele que partem os comandos de vida.

Lembre-se sempre Rômulo, discípulo amigo, estas tragédias de cunho material são terríveis sim e afligem a nós Espíritos tanto quanto a vocês seres encarnados, mas a pior de todas as tragédias é aquela  na qual o espírito é subjugado pelas viciações do corpo físico tornando-se incapaz de exercer a vontade, atributo sublime que o diferencia dos irracionais e o aproxima de Deus, nosso Criador.

Claro que gostamos de ver todos vocês lutando pela preservação do planeta, mas gostariamos também de vê-los lutando pela preservação da integridade espiritual do ser encarnado.Se ainda não sabeis como fazê-lo, orai! Orai, em benefício destas criaturas pois a oração feita com a alma chegará aos ouvidos do Eterno e a resposta advirá, com certeza.

E sobretudo não julgai! 

Não julgai nem o que mata nem o que abandona um filho ou o que promove chacinas ou incendeia ônibus e casas."Não julgai porque com a mesma medida que julgardes assim todos vós sereis julgados. "

Agora é a hora amigo! 

Não só de retornares ao teu corpo físico, como de arrebanhares criaturas e mais criaturas para que juntas formem a maior falange possível a orar em benefício destes doentes espirituais de ambos os planos, que se desequilibram e não cooperam com o equilíbrio do nosso querido planeta Terra. Sanados os males que os afligem, restabelecidos, serão capazes de se unirem a vós em prol da nossa nave. 



Que ovelha alguma se perca, pois!

Ditas as últimas palavras Alan despediu-se de Rômulo que despertou na sua cadeira, carregando dentro de si a certeza de que tinha algo muito grande a ser realizado e o faria.

soninha

BLOGAGEM COLETIVA
TEIA ESPIRITUAL: PRESERVAÇÃO DA VIDA


abçs,fraternos


4 comentários:

Flora Maria disse...

Perfeita sua constatação, Soninha !
E nós sabemos que enquanto a alma não estiver conectada com a verdade, o corpo não poderá descobrir seu caminho perfeito.

Parabéns pelo belo texto !
Beijo

RUTE disse...

uau!
agora vc me surpreendeu ainda mais!
Que contadora de historias menina. É vc quem cria todas elas?
Beijinhos,
Rute

Denise disse...

Soninha, que lição maravilhosa!
Somos parte de um grande todo. E os homens precisam conscientizar-se do mal q causam em seu corpo físico através do vício, das drogas, da vida desregrada. Estamos caminhando em busca do progresso. Acredito q em breve essas lições calarão fundo em nossa alma e buscaremos viver de conformidade com os ensinamentos do Cristo.
Obrigada pela visita. Já havia vindo em seu espaço outras vezes. Gostei muito de seu blog. Muita paz!

Emanuel disse...

Muito bacana seu texto. Fiquei pensando, claro, na temática, mas muito mais na questão da saída do corpo. Algo que me atrai ... e assusta.
Abraços!