23.5.11

Aos Meus Irmãos


AOS MEUS IRMÃOS


Sob as estrelas da minha crença,
Cansado e triste cerrei meus olhos
Dentro da noite que é para muitos
Um mar bravio, cheio de escolhos.

Quando no mundo de exílio e sombra,
Habitei-me com as invernias
E com os reveses da minha sorte,
Na luta intensa que encheu meus dias,

É que o Evangelho do Cristo amado,
– O mensageiro da Perfeição,
Nas horas tristes e amarguradas,
Esclarecia meu coração:

Não sou, no entanto, quem vá mostrar
As maravilhas que ele fornece,
Quando escutamos as vazes claras
Da consciência, na luz da prece.

E, então, eu pude adormecer
Na paz serena, doce e cristã,
Abrindo os olhos tranquilamente
Numa alvorada linda e louçã.

Vós, que ficastes no mundo ingrato,
De quem me lembro na luz do Além,
Lede o roteiro dos Evangelhos...
E a paz na morte tereis também.


Vallado Rosa

Do livro Parnaso de Além-Túmulo. 
Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

abçs,soninha

Um comentário:

Bel Rech disse...

Que lindo Soninha, quanta paz neste texto...
Paz e bem