30.10.11

Ninguém Morre



NINGUÉM MORRE

Não reclames da Terra
Os seres que partiram...

Olha a planta que volta
Na semente a morrer.

Chora, de vez que o pranto
Purifica a visão.

No entanto, continua
Agindo para o bem.

Lágrima sem revolta
É orvalho da esperança.

A morte é a própria vida
Numa nova edição.


Emmanuel / Chico Xavier.

Paz a todos...

Um comentário:

Verinha disse...

seu espaço é maravilhoso.Muita paz.