1.4.12

Eu fui



Eu fui. Mas o que fui já me não lembra:
Mil camadas de pó disfarçam, véus,
Estes quarenta rostos desiguais.
Tão marcados de tempo e macaréus.

Eu sou. Mas o que sou tão pouco é:
Rã fugida do charco, que saltou,
E no salto que deu, quanto podia,
O ar dum outro mundo a rebentou.

Falta ver, se é que falta, o que serei:
Um rosto recomposto antes do fim,
Um canto de batráquio, mesmo rouco,
Uma vida que corra assim-assim

José Saramago in "Os Poemas Possíveis"

paz a todos...

2 comentários:

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde!
Bem!Falar o que de Saramago?
Premio Nobel!Saramago uniu o escritor com homem crítico da sociedade, denunciando injustiças...
Gostei!
Parabéns!
Boa semana!Muita luz!
Obrigado pelo carinho da visita!
beijos

Bel Rech disse...

Olá, saudades de passar por aqui..Menina o tepo também não está aumentando para passar por todas aqueles que carinhosamente me acolheram no inicio.Então mais um motivo para estar presente sempre...O poema é lindo e deixa a gente à matutar..Ótimo domingo que resta e uma semana iluminada.
Paz e bem