15.11.11

Mediunidade:MATERIALIZAÇÃO



Fotografia que mostra o médium  Antônio Alves Feitosa, fornecedor do ectoplasma, com o espírito materializado atrás (Irmã Josepha). Do lado direito está Francisco Cândido Xavieir. Esta fotografia foi feita por Nedyr Mendes da Rocha no ano de 1965, em Uberaba, MG, usando uma máquina fotográfica marca Roleiflex e filme Kodacolor de 100 ASA. Como os trabalhos de materialização são feitos no escuro, esta foto foi feita com o auxílio de flash. É interessante notar como o ectoplasma que sai da boca do médium, como se fossem panos, ‘cai’ na direção do chão, mostrando estar sujeito à ação da gravidade. No trabalho de materialização em que esta fotografia foi feita, também participou a médium Otília Diogo. Ela se encontrava sentada dentro da cabine.
Matthieu Tubino
Um "Fluido Vital" Chamado Ectoplasma.
publicações Lachâtre
Para a produção deste fenômeno, o Espírito operante, tendo conseguido tirar do médium, dos assistentes e do ambiente que  lhe é próprio, o volume necessário de fluído pesado, combina-o com fluído mais fino, oriundo do plano espiritual, condensa-o ao ponto que baste para revestir com Ele o perispírito do Espírito que vai manifestar-se, tornando-o assim visível aos olhos materiais. 

Em graus mais avançados o “fantasma” se mantém íntegro durante tempo relativamente longo, tornando-se perfeitamente tangível e oferecendo à análise direta do observador todos os fenômenos do metabolismo fisiológico. 

O caso mais notável de materialização vamos dizer “a longo prazo” foi estudado e descrito pelo sábio inglês William Crookes que, operando com a médium Miss Cook, teve sob seu contrôle e análise,  durante alguns anos, o Espírito materializado de Katie King. 

Dêste campo são também os casos de materializações luminosas em que os fluídos empregados são mais do próprio mundo espiritual. 

Vejamos agora como André Luiz, o grande revelador de coisas novas no campo do Espiritismo objetivo, descreve uma sessão  de materialização que presenciou durante seu aprendizado no espaço. (21) 
(21) Missionários da Luz – André Luiz. 

- Na noite aprazada Alexandre, que me proporcionava a satisfação de seguir-me de perto, conduziu-me à casa residencial  onde teria lugar a assembléia diferente. 

“A reunião seria iniciada às vinte e uma horas, mas, com antecedência de cinqüenta minutos, estávamos ambos ali, na sala intima, acolhedora e confortável, onde grande número de servidores do nosso plano iam e vinham. 

“... Demandamos respeitosos o interior doméstico. Admiradíssimo notei a enorme diferenciação ambiente. 

Não havia ali como em outras reuniões a que assistira, a grande comunidade de sofredores às portas. 

“A residência particular chegava a ser isolada por  extenso cordão de trabalhadores de nosso plano num círculo de vinte metros em derredor. 

Percebendo-me a estranheza Alexandre explicou: 
- “Aqui é indispensável o máximo cuidado para que os princípios mentais de origem inferior não afetem a saúde física dos colaboradores encarnados, nem a pureza do material indispensável aos processos fenomênicos. Em vista disso torna-se imprescindível insular o núcleo de nossas atividades, defendendo-as 
contra o acesso de entidades menos dignas, através de fronteiras vibratórias. 

“... Todo o perigo desses trabalhos está na ausência de preparo dos nossos amigos da Crosta, que, na maioria das vezes, alegando impositivos científicos, se furtam a comezinhos princípios de elevação moral. 

Quando não se verifica o devido cuidado por parte deles o fracasso pode assumir características terríveis, porque os irmãos que estabelecem as fronteiras vibratórias, no exterior do recinto, não podem impedir a entrada dessas entidades inferiores, absolutamente integradas com as suas vítimas terrenas. 

“Há obsidiados que se sentem tão bem na companhia dos perseguidores, que imitam as mães terrestres agarradas aos filhos  pequeninos, penetrando recintos consagrados a certos serviços, com os quais não se compadece ainda o espírito infantil. Quando os amigos menos avisados ingressam na tarefa em tais condições as ameaças são verdadeiramente inquietantes. 

Surpreendido notei o esfôrço de vinte entidades de  nobre hierarquia, que movimentavam o ar ambiente. Em seus gestos rítmicos assemelhavam-se a sacerdotes antigos que estivessem executando operações magnéticas de santificação interior do recinto. 

“— Não se trata, esclareceu Alexandre, de hierofantes em gestos convencionais. Temos ali esclarecidos cooperadores do serviço, que preparam o ambiente, levando a efeito a ionização da atmosfera, combinando recursos para efeitos elétricos e magnéticos. 
“Nos trabalhos dêste teor requisitam-se processos acelerados de materialização e desmaterialização da energia. 

Não decorreram muitos instantes e alguns trabalhadores da nossa esfera compareceram trazendo pequenos aparelhos que me pareceram instrumentos reduzidos, de grande potencial elétrico, em virtude dos raios que movimentavam em todas as direções. 

“Estes amigos, explicou meu generoso instrutor, estão encarregados de operar a condensação do oxigênio em toda a casa, O  ambiente para a materialização de entidades do nosso plano invisível aos homens requer elevado teor de ozônio e, além disso, é indispensável semelhante operação a fim de que todas as larvas e expressões microscópicas de atividade inferior sejam exterminadas. 

“O ectoplasma ou fôrça nervosa, que será abundantemente extraído do médium, não pode sofrer, sem prejuízos fatais, a intromissão de certos elementos microbianos. 

“Logo depois reparei, surpreendido, o trabalho de várias entidades que chegavam do exterior, trazendo extenso material luminoso. 

— São recursos da Natureza, informou-me o instrutor solícito, que os operários de nosso plano recolhem para o serviço. Trata-se de elementos das plantas e das águas, naturalmente invisíveis aos olhos dos homens, estruturados para reduzido número de vibrações. 
      
 “... Não se passaram muitos minutos e a jovem médium, afável e simpática, deu entrada no recinto, acompanhada por diversas entidades, dentre as quais se destacavam um amigo de elevada condição, que parecia chefiar o grupo de servidores. Esse exercia considerável controle sobre a moça, que a ele se ligava através de tênues fios de natureza magnética. 

       “Alexandre, Verônica (enfermeira) e mais três assistentes diretos de Alencar (orientador do aparelho mediúnico), colocaram as mãos, em forma de corôa, sobre a fronte da jovem e vi que suas energias reunidas formavam vigoroso fluxo magnético que foi projetado sobre o  estômago e o fígado da médium, órgãos esses que acusaram imediatamente, novo ritmo de vibrações... Em poucos minutos o estômago permanecia inteiramente livre.
       “Agora, exclamou Verônica, serviçal, preparemos o sistema nervoso para as saídas da força. 
     
  “Reparei a diferenciação dos fluxos magnéticos, diante da nova operação posta em prática. 
       
“Separaram-se os assistentes de algum modo e, enquanto Alexandre projetava a energia que lhe era peculiar sobre a região do cérebro, Verônica e os companheiros lançavam os recursos que lhe eram próprios sobre todo o sistema nervoso central, encarregando-se cada um de determinada zona dos nervos cervicais, dorsais, lombares e sacros. As fôrças projetadas sobre a organização mediúnica efetuavam limpeza eficiente e enérgica, porquanto via, espantado, os resíduos escuros que lhes eram arrancados dos centros vitais. 
       
Prosseguindo o exame dos trabalhos em curso, reparei que Verônica alçava, agora, a destra sobre a cabeça da jovem, demorando-a no centro da sensibilidade. 

       “— Nossa irmã Verônica, explicou meu generoso orientador, está aplicando passes magnéticos como serviço de introdução ao desdobramento necessário. 

       Entre os votos de êxito dos companheiros encarnados semi-confiantes, a médium foi conduzida ao pequeno gabinete improvisado, fazendo-se em seguida, ligeira oração. Via-se no entanto que, como acontecia em outras reuniões, os amigos terrestres emitiam muitas solicitações silenciosas, entrando as vibrações mentais em conflito ativo, desservindo ao invés de auxiliar no trabalho da noite, que requisitava a mais elevada percentagem de harmonia. À claridade fraca e suave da luz vermelha que substituíra a forte lâmpada comum, notava-lhes as emissões luminosas do pensamento. 

Diversos servidores espirituais começaram a combinar as radiações magnéticas dos companheiros terrenos, a fim de constituírem material de cooperação enquanto Calimério projetando seu sublime potencial de energias sobre a médium operava-lhe o desdobramento que durou alguns minutos. 

Verônica e outras amigas amparavam a jovem, parcialmente liberta dos veículos físicos, mas algo confusa e inquieta, ao lado do corpo, então mergulhado em profundo transe. 

Em seguida notei que, sob a ação do nobre orientador da tarefa, exteriorizava-se a fôrça nervosa, à maneira de um fluxo abundante de neblina espessa e leitosa. 

Fêz-se música no ambiente e vi que o irmão Alencar, depois de ligar-se profundamente à organização mediúnica tomava forma, ali mesmo ao lado da médium, sustentada por Caliméro e assistida por numerosos trabalhadores. 

Aos poucos, valendo-se da fôrça nervosa exteriorizada e de várias matérias fluídicas extraídas no interior da casa, aliadas a recursos da Natureza, Alencar surgiu aos olhos dos encarnados, perfeitamente materializado” (22). 

(22) Transcrevemos na íntegra, com pequenas soluções de continuidade, estas páginas da citada obra, por conterem inúmeras lições de alto valor, que convém difundir o mais possível.

Livro: Mediunidade
Autor: Edgard Armond

Paz a todos...

Nenhum comentário: